282 online
Ruy Belo
Nasceu a 27 Fevereiro 1933
(Rio Maior, Portugal)

Morreu em 08 Agosto 1978
(Queluz, Portugal)

Rui de Moura Belo foi um poeta e ensaísta português.
wer54w66sf32re2
 
Título Visto Gosto Favorito Coments Livro Dat
/pt/t/1677/nomeei-te-no-meio-dos-meus-sonhosNomeei-te no meio dos meus sonhos1150265142151Poema
/pt/t/1669/contigo-aprendi-coisas-tao-simplesContigo aprendi coisas tão simples125055717051Poema
/pt/t/1671/e-triste-ir-pela-vidaÉ triste ir pela vida8235435084Poema
/pt/t/1678/e-um-olhar-perdido-e-tao-dificil-de-encontrare um olhar perdido é tão difícil de encontrar785142301Poema
/pt/t/8967/mas-que-sei-euMas que sei eu776030110Poema
/pt/t/1675/ver-te-e-como-ter-a-minha-frente-todo-o-tempoVer-te é como ter á minha frente todo o tempo76533050259Poema
/pt/t/1672/digam-que-foi-mentiraDigam que foi mentira8279285071Poema
/pt/t/1673/mesmo-que-nao-conhecasMesmo que não conheças78692530135Poema
/pt/t/1670/este-ceu-passaraEste céu passará88222211101Poema
/pt/t/1676/tem-o-amor-a-arte-de-tornar-eternoTem o amor a arte de tornar eterno76321820243Poema
/pt/t/1674/amei-a-mulher-amei-a-terra-amei-o-marAmei a mulher amei a terra amei o mar7370182023Poema
/pt/t/13556/cadernos-e-poesia-e-tudo-era-possivelCadernos e Poesia - E TUDO ERA POSSÍVEL765616020Poema
/pt/t/13557/cadernos-de-poesia-o-homem-dos-sonhosCadernos de Poesia - O HOMEM DOS SONHOS580813100Poema
/pt/t/3410/a-morte-da-aguaA morte da água555610010Poema
/pt/t/3405/requiem-por-um-caoRequiem por um cão377610200Poema
/pt/t/1679/para-a-dedicacao-de-um-homemPara a dedicação de um homem6847810175Poema
/pt/t/3409/algumas-proposicoes-com-passaros-e-arvoresAlgumas proposições com pássaros e árvores53018100Poema
/pt/t/8968/breve-sonata-em-sol-um-menor-claroBreve Sonata em Sol [UM (Menor, Claro)40128100Poema
/pt/t/3408/compreensao-da-arvoreCompreensão da árvore62107010Poema
/pt/t/13448/povoamentoPovoamento57207100Poema
/pt/t/3404/a-mao-no-aradoA mão no arado40317200Poema
/pt/t/13601/e-tudo-era-possivelE tudo era possível41066000Poema
/pt/t/13592/um-dia-nao-muito-longe-nao-muito-pertoUm dia não muito longe não muito perto43405000Poema
/pt/t/3406/vat-69VAT 6947563000Poema
/pt/t/8970/vestigia-deiVestigia Dei40623100Poema
/pt/t/13555/cadernos-de-poesia-colofon-ou-epitafioCadernos de Poesia - Cólofon ou Epitáfio33513000Poema
/pt/t/8969/comovida-homenagem-a-jeronimo-baiaComovida Homenagem a Jerónimo Baía31573000Poema
/pt/t/13606/as-velas-da-memoriaAs velas da memória31143000Poema
/pt/t/13603/atropelamento-mortalAtropelamento mortal27993100Poema
/pt/t/3407/literatura-explicativaLiteratura explicativa43972000Poema
/pt/t/13608/a-flor-da-solidaoA flor da solidão38202000Poema
/pt/t/13609/tu-estas-aquiTu estás aqui43511100Poema
/pt/t/13598/poema-quotidianoPoema quotidiano31111020Poema
/pt/t/13594/oh-as-casas-as-casas-as-casasOh as casas as casas as casas28521000Poema
/pt/t/13605/poema-quase-apostolicoPoema quase apostólico27471000Poema
/pt/t/13596/emprego-e-desemprego-do-poetaEmprego e Desemprego do Poeta26101000Poema
/pt/t/13607/espaco-para-uma-cancaoEspaço para uma canção29670000Poema
/pt/t/13595/sobre-um-simples-significanteSobre um simples significante28740000Poema
/pt/t/13602/na-morte-de-marilynNa morte de Marilyn28590000Poema
/pt/t/13597/teoria-da-presenca-de-deusTeoria da Presença de Deus28330000Poema
/pt/t/13604/os-balcoes-sucessivos-sobre-o-rioOs balcões sucessivos sobre o rio26960000Poema
/pt/t/13600/saudades-de-melquisedequeSaudades de Melquisedeque26390000Poema
/pt/t/47857/missa-de-aniversarioMissa de Aniversário2480000Poema