316 online
Frederico de Castro Ver Perfil
Nasceu a 20 Junho 1961
(Bolama )

Apenas escuto o sentir Que esculpo no silêncio Onde descortinar Sei desta vida Todo meu sonhar tateia e regurgita
 
Para AL...


As ausências desaguam agora
 
Na planície dos meus silêncios
 
Enquanto colhes os cânticos
 
Esperançosos crescendo na efeméride
 
Absoluta do tempo com arte e esplendor
 
Perpectuando tua voz meiga em celestiais coreografias
 
gratinando o colorido templo da musica
 
Em magistrais timbres acariciando acústica sonorizada
 
Num cântico que tantas ilusões sintoniza

Frederico de Castro
 

Seguinte
Clique se gosta
Guardar nos seus Favoritos
Comentar
Rating
1
Visto
45