Carlos Drummond de Andrade



Nasceu a 31 Outubro 1902
(Itabira do Mato Dentro, Minas Gerais, Brasil)

Morreu a 17 Agosto 1987
(Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil)

Carlos Drummond de Andrade foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX.
TituloVistoGostoFavoritoComentsLivro
As sem razões do amor24548495657
Memória7459193290
Quero33527185158
O amor antigo629615881
Toada do Amor25511141411
Poema1820614106
O Seu Santo Nome1943112556
Os ombros suportam o mundo12522125313
Sentimental2551511359
Quadrilha746211281
Amor e seu tempo688710071
Destruição1858396911
Ausência542993200
O tempo passa ? Não passa55018442
Por muito tempo achei que a ausência é falta1182381233
Também já fui brasileiro122157927
Que pode uma criatura845662150
Para Sempre90705922
A puta34745220
Receita de Ano Novo99945124
AMAR52224510
JOSÉ27164460
Amizade62493810
Segredo46113210
Rosa Rosae25483130
Poema Patético99213003
No Meio do Caminho29562823
O Amor bate na porta65012610
Passagem do Ano94382410
A paixão medida32612420
A bunda que engraçada22442320
Poema de Sete Faces27322200
Além da Terra, Além do Céu32582100
Política Literária63611802
A palavra mágica41541811
SENTIMENTO DO MUNDO32851800
Canto Esponjoso21441810
Sob o chuveiro amar20371810
Mãos Dadas52261700
Poema-orelha67081617
Infância58191600
O mundo é grande39631610
RECONHECIMENTO DO AMOR37741630
Poesia23161601
Amor, pois que é palavra essencial33331540
Lagoa29681500
A Um Ausente26311510
Sugar e ser sugado pelo amor22441510
Diante de uma criança30281401
No corpo feminino26191400
O chão é cama19641320
Amar-amaro45721110
Não se mate34441110
Canção Amiga28981120
O criador27751100
Não quero ser o último a comer-te22921100
Certas palavras46521020
A falta que ama35411000
Acordar, Viver3388911
A rua diferente2790900
Soneto da Perdida Esperança2714900
A Bruxa2687901
Amor é bicho instruído2336910
Carta3323800
O Enterrado Vivo3087810
O Ano Passado2850710
O Arco2611700
Para o sexo a expirar2149710
Hino Nacional2072700
A moça mostrava a coxa1770700
Construção2767600
Indagação2267600
POEMA DO JORNAL1749600
Em teu crespo jardim,anêmonas castanhas1451600
Igreja2795501
A hora do cansaço2654500
Não Passou2361500
Poema que Aconteceu2212500
O que se passa na cama2167510
A Bomba2150501
Confidência do Itabirano1903500
São flores ou são nalgas1682500
À Noite Dissolve os Homens2776400
O que fizeram do Natal2391400
Elegia 19381994400
Quarto em desordem1957410
Cantiga de viúvo1639400
Oficina Irritada2646301
A mão suja2421310
O que Alécio vê1497300
Diante das Fotos de Evandro Teixeira1443000