Luís de Camões



Nasceu em 1524
(Coimbra)

Morreu a 10 Junho 1580
(Lisboa)

Luís Vaz de Camões foi um poeta de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa e um dos grandes poetas do Ocidente. Pouco se sabe com certeza sobre a sua vida.
TituloVistoGostoFavoritoComentsLivro
Da alma e de quanto tiver852516150
A dor que a minha alma sente1978012336
Vencido está de amor36709000
Amor é fogo que arde sem se ver732574213
Acha a tenra mocidade60196110
Mas, conquanto não pode haver desgosto710059121
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades74275290
Eu cantarei de amor tão docemente33474800
Se me vem tanta glória só de olhar-te33022910
Quando da bela vista e doce riso59012403
Senhora minha, se de pura inveja27412400
Transforma-se o amador na cousa amada60022371
Catarina é mais fermosa50592311
Tanto de meu estado me acho incerto79912111
Se as penas com que Amor tão mal me trata26612110
Julga-me a gente toda por perdido31931900
Sempre a Razão vencida foi de Amor34601720
Posto o Pensamento Nele61581600
Alma minha gentil, que te partiste26141610
Quem diz que Amor é falso ou enganoso24591610
Apartaram-se os meus Olhos55801501
Que me quereis, perpétuas saudades?28331500
Porque quereis, Senhora, que ofereça40131300
Esparsa Ao desconcerto do Mundo44671100
Coitado! que em um tempo choro e rio27781120
O cisne, quando sente ser chegada26761000
O tempo acaba o ano, o mês e a hora25491010
Se pena por amar-vos se merece2709900
Ao desconcerto do Mundo2495910
Quem vê, Senhora, claro e manifesto2459900
De quantas graças tinha, a Natureza2332900
Aquela triste e leda madrugada2762820
Ah! minha Dinamene! Assim deixaste2353800
A um fidalgo que lhe Tardará com uma Camisa que lhe Prometera3325700
O fogo que na branda cera ardia,2411700
Qual tem a borboleta por costume2525600
Busque Amor novas artes2521600
Sete anos de pastor Jacob servia2390600
Descalça vai para a fonte2343600
Perdigão perdeu a pena3822510
O dia em que eu nasci, moura e pereça3377510
Lembranças, que lembrais meu bem passado2421510
Não sei se me engana Helena2368500
Ditoso seja aquele que somente2317500
Quem pode livre ser, gentil Senhora,2689400
Minha alma gentil, que te partiste2526410
Nunca em amor danou o atrevimento2396400
Quando me quer enganar2380400
Pastora da Serra3014300
Se tanta pena tenho merecida2516300
Erros meus, má fortuna, amor ardente2490320
Onde acharei lugar tão apartado2427300
Tomou-me vossa vista soberana2349300
Tenho-me Persuadido3124200
Eis aqui, quase cume da cabeça2711200
Posto me tem Fortuna em tal estado2700200
Glosa a mote alheio2551200
Verdes são os campos2535210
Amor, que o gesto humano na alma escreve2462200
Quando de minhas mágoas a comprida2395200
No mundo quis o Tempo que se achasse2378210
Na fonte está Leanor2311200
Endechas a Bárbara escrava2295200
Em prisões baixas fui um tempo atado2935100
Horas breves de meu Contentamento2597100
Enquanto quis Fortuna que Tivesse2314100
Um mover dolhos, brando e piadoso2298100
Pede o desejo, Dama, que vos veja2599000
Quem presumir, Senhora, de louvar-vos2557000
Com o Tempo o Prado Seco Reverdece2447000