Luís de Camões



Nasceu em 1524
(Coimbra)

Morreu a 10 Junho 1580
(Lisboa)

Luís Vaz de Camões foi um poeta de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa e um dos grandes poetas do Ocidente. Pouco se sabe com certeza sobre a sua vida.
TituloVistoGostoFavoritoComentsLivro
Da alma e de quanto tiver759516150
A dor que a minha alma sente1875412336
Vencido está de amor27138900
Amor é fogo que arde sem se ver643273213
Acha a tenra mocidade51726110
Mas, conquanto não pode haver desgosto620259121
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades65475190
Eu cantarei de amor tão docemente25034800
Se me vem tanta glória só de olhar-te24122910
Quando da bela vista e doce riso49432403
Senhora minha, se de pura inveja19162400
Transforma-se o amador na cousa amada51322371
Catarina é mais fermosa42012311
Tanto de meu estado me acho incerto62482111
Se as penas com que Amor tão mal me trata18402110
Julga-me a gente toda por perdido22711900
Posto o Pensamento Nele53061600
Sempre a Razão vencida foi de Amor24671620
Alma minha gentil, que te partiste17921610
Quem diz que Amor é falso ou enganoso16261610
Apartaram-se os meus Olhos47491501
Que me quereis, perpétuas saudades?19691500
Porque quereis, Senhora, que ofereça31731300
Esparsa Ao desconcerto do Mundo34701100
Coitado! que em um tempo choro e rio18971120
O cisne, quando sente ser chegada18361000
O tempo acaba o ano, o mês e a hora17031010
Se pena por amar-vos se merece1880900
Ao desconcerto do Mundo1671910
Quem vê, Senhora, claro e manifesto1649900
De quantas graças tinha, a Natureza1521900
Aquela triste e leda madrugada1882820
Ah! minha Dinamene! Assim deixaste1538800
A um fidalgo que lhe Tardará com uma Camisa que lhe Prometera2517700
O fogo que na branda cera ardia,1592700
Busque Amor novas artes1705600
Qual tem a borboleta por costume1702600
Sete anos de pastor Jacob servia1578600
Descalça vai para a fonte1520600
O dia em que eu nasci, moura e pereça2481510
Lembranças, que lembrais meu bem passado1604510
Não sei se me engana Helena1540500
Ditoso seja aquele que somente1504500
Quem pode livre ser, gentil Senhora,1823400
Minha alma gentil, que te partiste1717410
Nunca em amor danou o atrevimento1569400
Quando me quer enganar1564400
Perdigão perdeu a pena2291310
Pastora da Serra2095300
Se tanta pena tenho merecida1688300
Erros meus, má fortuna, amor ardente1676320
Onde acharei lugar tão apartado1608300
Tomou-me vossa vista soberana1538300
Tenho-me Persuadido2046200
Eis aqui, quase cume da cabeça1848200
Posto me tem Fortuna em tal estado1833200
Glosa a mote alheio1709200
Verdes são os campos1701210
Amor, que o gesto humano na alma escreve1646200
No mundo quis o Tempo que se achasse1562210
Quando de minhas mágoas a comprida1536200
Na fonte está Leanor1491200
Em prisões baixas fui um tempo atado1990100
Horas breves de meu Contentamento1750100
Enquanto quis Fortuna que Tivesse1503100
Um mover dolhos, brando e piadoso1483100
Endechas a Bárbara escrava1481100
Pede o desejo, Dama, que vos veja1723000
Quem presumir, Senhora, de louvar-vos1714000
Com o Tempo o Prado Seco Reverdece1601000