Abade de Jazente

Abade de Jazente
Paulino António Cabral de Vasconcelos, melhor conhecido por Abade de Jazente, foi um poeta português.
Nasceu a 06 Maio 1719 (Quinta do Reguengo, Amarante)
Morreu em 20 Novembro 1789
Comentários
Presbítero secular, formado em Direito Canónico pela Universidade de Coimbra, Paulino António Cabral de Vasconcelos foi em 1748 eleito abade da Igreja de Santa Maria de Jazente, no bispado do Porto, resignando, por doença, em 1783. Trata-se de um autor de versos que por vezes surpreendem pelo seu prosaísmo atento ao quotidiano rural em que viveu boa parte da sua vida e onde caldeia o clima «arcádico» da poesia do seu tempo. As composições satíricas, ocasionalmente bastante «pesadas», num tom a que Jacinto do Prado Coelho chega a chamar «goliardesco», contribuiram fundamentalmente para a sua divulgação ainda em vida, embora só tardiamente, dado o desinteresse do abade, uma colectânea tenha reunido a sua obra, cuja forma mais habitual é o soneto. São os aspectos de apontamento à margem da vida de todos os dias, de um fait divers, de um estado de alma fortuito, conjugados com a sua filosofia feita de espírito de observação e de reminiscências de Horácio, e o estilo narrativo, ritmado com o acento um tanto monótono, mas folgado, dos seus decassilabos «naturais», que o tornam ainda lido e especialmente apreciado por poetas de hoje, como Alexandre O'Neill, que o cita como antepassado desejável num dos seus poemas mais conhecidos. «Convergem [...], no autor, algo da maneira de Tolentino e algo de bocagiano» – acrescenta ainda Jacinto do Prado Coelho (in Dicionário de Literatura).