Casimiro de Abreu

Casimiro de Abreu
Casimiro José Marques de Abreu foi um poeta brasileiro da segunda geração romantismo. Filho do fazendeiro português José Joaquim Marques de Abreu e de Luísa Joaquina das Neves, uma fazendeira de Silva Jardim, viúva do primeiro casamento.
Romantismo
Nasceu a 04 Janeiro 1839 (Barra de São João, Rio de Janeiro, Brasil)
Morreu em 18 Outubro 1860 (Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil)
Comentários
Casimiro de Abreu (Barra de São João RJ, 1839 - Fazenda Indaiaçu, Barra de São João RJ, 1860) fez curso de Humanidades no Colégio Freese, em Nova Friburgo RJ, entre 1849 e 1852, mas não chegou a conclui-lo. No ano seguinte mudou-se para Lisboa (Portugal), onde sua peça Camões e o Jau foi representada, em 1856, no Teatro D. Fernando. Manteve contatos com Alexandre Herculano, Mendes Leal e Camilo Castelo Branco. De volta ao Brasil, tornou-se colaborador regular dos periódicos Correio Mercantil, A Marmota, O Espelho e Revista Popular. Em 1858 participou de reuniões no escritório de Caetano Alves de Sousa Filgueiras, advogado e poeta baiano, com Augusto Emílio Zaluar, Francisco Gonçalves Braga, José Joaquim Cândido de Macedo Júnior e Machado de Assis. Publicou sua obra mais famosa, o livro de poesia As Primaveras, em 1859. Suas Obras Completas foram editadas em 1870. Poeta da segunda geração romântica, Casimiro de Abreu abordou temas comuns entre os maiores expoentes de sua época, mas sem a mesma envergadura. No entanto, é um dos poetas mais populares do Brasil, principalmente por poemas como Meus Oito Anos, dos mais revisitados por autores do modernismo.