Miguel Serras Pereira

Miguel Serras Pereira
Nasceu a 1949 (Porto)
Comentários
Tradutor, poeta e ensaísta.Frequentou a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo interrompido os estudos em 1970 para ingressar no jornalismo diário (concluiria em 1986 a licenciatura em História na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa).A sua actividade literária e de reflexão começou anos antes, com a publicação de textos em diversas páginas de artes e letras e com a obtenção, em 1969, do Prémio de Poesia Almeida Garrett de Revelação do Ateneu Comercial do Porto, atribuído por um júri de que faziam parte Eugénio de Andrade, Egito Gonçalves e Óscar Lopes. Após uma primeira experiência no jornalismo diário em A Capital, integrou em 1973 a redacção do semanário Vida Mundial, onde assegurará, após o 25 de Abril de 1974 e durante a direcção de Augusto Abelaira, uma página regular de comentário político e diversos textos de cariz literário.Pela mesma altura, iniciou a sua actividade de tradutor, que acabaria por se tornar a sua ocupação principal. De entre os autores que traduziu, destacam-se: Bergson, Georges Simenon Cocteau, Proust, Simone de Beauvoir, Blanchot, Kundera, Durkheim, Raymond Aron, Bourdieu, Derrida, Erving Goffman, Orwell, George Steiner, Fernando Savater, García Marquez, Vargas Llosa, Teilhard de Chardin, Michel Tornier, Virginia Woolf. Em 1991, o Ministério da Cultura francês atribui-lhe uma bolsa, que lhe permitiu frequentar o Collège International des Traducteurs Littéraires, em Arles, França. Durante a estada, trabalhou na tradução de Le Rire de Henri Bergson e Le Médianoche Amoureux de Michel Tournier. Em 1993, foi oficialmente nomeado para o Prémio de Tradução da Comunidade Europeia.Entre crónicas, notas críticas e artigos de vária natureza, tem sido colaborador regular em considerável número de jornais (Diário de Notícias, Jornal do Fundão, Gazeta da Semana, Jornal de Letras, Artes e Ideias, Expresso, Público) e revistas (Abril, Raiz e Utopia, A Ideia, Colóquio/Letras, Alter Ego, Revista Portuguesa de Psicanálise, Ler, Finisterra, Tabacaria). Dirigiu A Ideia: Revista Libertária.Estreou-se na criação literária em 1980 com um livro de poemas, Inumerações. Desde então, tem publicado poesia com alguma regularidade.Representado em várias colectâneas poéticas e ensaísticas, foi um dos organizadores e participante do Festival do Imaginário promovido pela Associação «Palha de Abrantes» (duas edições, em 1996 e 1999), que reuniu importantes personalidades, como Cornelius Castoriadis, Jean-Pierre Cometti, Fernando Savater, Eduardo Lourenço, Pedro Tamen, Maria Velho da Costa, Almeida Faria, Tito Cardoso e Cunha, Manuel Villaverde Cabral e Mia Couto, entre outros.De 1993 a 1997 foi professor no Instituto Superior de Língua e Administração (ISLA) de Santarém, integrando o respectivo Conselho Científico. As disciplinas que leccionou estavam ligadas aos problemas da teoria e da prática da tradução. Em Fevereiro de 2000 retomou a sua actividade docente na mesma escola.