Rubem Braga

Rubem Braga
Rubem Braga foi um escritor lembrado como um dos melhores cronistas brasileiros. Era irmão do poeta e jornalista Newton Braga.
Jabuti
Nasceu a 12 Janeiro 1913 (Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo, Brasil)
Morreu em 19 Dezembro 1990 (Rio de Janeiro, Brasil)
Comentários
Rubem Braga (Cachoeiro de Itapemirim ES, 1913 - Rio de Janeiro RJ, 1990) estreou na imprensa em 1928, com participação no jornal Correio do Sul, fundado pelos seus irmãos Jerônimo e Armando em Cachoeiro de Itapemirim. Mudou-se para Belo Horizonte MG, em 1931, onde passou a colaborar no Diário da Tarde. Em 1932 fez a cobertura da Revolução Constitucionalista pelos Diários Associados. Ainda na década de 1930, trabalhou como repórter e cronista para periódicos como Diário de São Paulo e Folha da Tarde, entre diversos outros. Fundou a Folha do Povo, em 1935, em Recife, e a revista Diretrizes, no Rio de Janeiro, em 1938. Entre 1944 e 1945 foi correspondente do Diário Carioca durante a Segunda Guerra Mundial, acompanhando a Força Expedicionária Brasileira na Itália. Em 1946 foram publicados seus poemas Senhor! Senhor!, Poeta Cristão, Adeus e Tarde (este último tradução de poema de Nuñez Aguirre) na Antologia de Poetas Brasileiros Bissextos Contemporâneos, organizada por Manuel Bandeira. Nos anos seguintes foi cronista do Correio da Manhã, O Estado de S. Paulo e revista Manchete, além de colaborador em outros periódicos. Criou, com Fernando Sabino, a Editora do Autor, em 1960, e a Editora Sabiá, em 1967. Foi embaixador do Brasil no Marrocos, entre 1960 e 1963. Integrou a equipe de jornalismo na TV Globo no período de 1975 a 1990. Rubem Braga, que fez algumas incursões pela poesia, é considerado por muitos estudiosos o maior cronista brasileiro. Seus poemas vinculam-se à segunda geração do Modernismo.