Rui Knopfli
Rui Manuel Correia Knopfli foi um poeta, jornalista e crítico literário e de cinema português. Fez os seus estudos em Lourenço Marques e em Joanesburgo África do Sul, tendo sido, entre 1954 e 1974, delegado de propaganda médica.
PEN Clube
Nasceu a 10 Agosto 1932 (Moçambique)
Morreu em 25 Dezembro 1997 (Lisboa)
Comentários
Poeta português, de origem moçambicana. Tendo nascido em Inhambane, estudou em Lourenço Marques (a actual cidade de Maputo) e foi delegado de propaganda médica, desenvolvendo, paralelamente, uma intensa actividade literária. Colaborou em vários jornais e revistas, tendo dirigido (com Grabato Dias e António Quadros) a revista Caliban e sido responsável pelos suplementos literários de A Voz de Moçambique, A Tribuna e O Tempo. Seguiu para Londres, em 1975, como chefe dos serviços de imprensa do embaixador de Portugal. Foi ainda crítico literário e de cinema. Influenciado simultaneamente pelo mundo europeu e pelo mundo africano, de que conserva muitas marcas, a sua obra não está dependente de movimentos estéticos, destacando-se o autor pela sua originalidade e pelo tom frequentemente coloquial. Publicou, entre outras, as obras O País dos Outros (1959), Reino Submarino (1962), Mangas Verdes com Sal (1969), A Ilha de Próspero (1972), O Escriba Acocorado (1978), Memória Consentida (1982, antologia), O Corpo de Atena (1984) e O Monhé das Cobras (1998). A sua obra, de contida discursividade, onde transparecem as raízes poéticas da antiguidade e da modernidade, revela, por vezes, uma desencantada interiorização.
Rui Knopfli nasceu na cidade de Inhambane, em Moçambique, a 10 de agosto de 1932. Estudou na África do Sul, retornando mais tarde para Maputo, onde passou a trabalhar como jornalista. Estreou em livro com O País dos Outros, em 1959, ao qual se seguiram Reino Submarino (1962), Máquina de Areia (1964), Mangas Verdes com Sal (1969) e A Ilha de Próspero (1972). Deixou Moçambique, emigrando para Portugal, em 1975. Em Lisboa, colaborou com diversos jornais e revistas como crítico literário e de cinema. Sua primeira publicação após a emigração viria com O Escriba Acocorado (1978), ao qual se seguiram Memória Consentida: 20 Anos de Poesia 1959-1979 (1982) e O Corpo de Atena (1984). Rui Knopfli morreu em Lisboa, a 25 de Dezembro de 1997. Em 2003, foi publicada sua Obra Poética, e acaba de ser lançada no Brasil uma antologia de seus poemas, publicada pela editora da Universidade Federal de Minas Gerais.