97 online
Clara
Escura
Português
Español
English

Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade
Nasceu a 31 Outubro 1902
(Itabira do Mato Dentro, Minas Gerais, Brasil)
Morreu em 17 Agosto 1987
(Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil)
Carlos Drummond de Andrade foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX.
1045704 visualizações
3611 16 21
 
O avesso das coisas
1987
O avesso das coisas
Moça deitada na grama
1987
Moça deitada na grama
Boitempo
1986
Boitempo
Tempo vida poesia
1986
Tempo vida poesia
Antes da Meia-Noite: Contos
1985
Antes da Meia-Noite: Contos
Poesia, literaturas de expressão portuguesa--João Cabral de Melo Neto, Carlos Drummond de Andrade
1985
Poesia, literaturas de expressão portuguesa--João Cabral de Melo Neto, Carlos Drummond de Andrade
O poder ultrajovem
1985
O poder ultrajovem
Amar se aprende amando: poesia de convívio e de humor
1985
Amar se aprende amando: poesia de convívio e de humor
Boitempo: menino antigo
1985
Boitempo: menino antigo
O observador no escritório
1985
O observador no escritório
Declaração de amor: canção de namorados
1985
Declaração de amor: canção de namorados
Quarenta Historinhas E Cinco Poemas
1985
Quarenta Historinhas E Cinco Poemas
O elefante
1984
O elefante
Poesia completa: conforme as disposições do autor
1984
Poesia completa: conforme as disposições do autor
Confissões de Minas
1984
Confissões de Minas
Boca de luar
1984
Boca de luar
Aquele Córrego
1984
Aquele Córrego
Conversa de livraria, 1941 e 1948
1984
Conversa de livraria, 1941 e 1948
Dom Quixote: Cervantes
1984
Dom Quixote: Cervantes
Para gostar de ler: cronicas
1984
Para gostar de ler: cronicas
Corpo
1984
Corpo
Receita de ano novo
1981
Receita de ano novo
Vó caiu na piscina
1981
Vó caiu na piscina
Contos plausíveis
1981
Contos plausíveis
A paixão medida
1980
A paixão medida
O amor natural
1978
O amor natural
70 historinhas: antologia
1978
70 historinhas: antologia
Antologia poética
1978
Antologia poética
Discurso de primavera e algumas sombras
1978
Discurso de primavera e algumas sombras
Os dias lindos
1977
Os dias lindos
De notícias e não-notícias faz-se a crônica
1974
De notícias e não-notícias faz-se a crônica
As impurezas do branco
1973
As impurezas do branco
A vida passada a limpo
1973
A vida passada a limpo
A senha do mundo
1970
A senha do mundo
Caminhos de João Brandão
1970
Caminhos de João Brandão
Cadeira de balanço: crônicas
1966
Cadeira de balanço: crônicas
A vida passada a limpo ; A falta que ama
1962
A vida passada a limpo ; A falta que ama
A bolsa  e  a vida: crônicas em prosa e verso
1962
A bolsa e a vida: crônicas em prosa e verso
Fala, amendoeira
1957
Fala, amendoeira
A falta que ama
1957
A falta que ama
Fazendeiro do ar: suivi de Poesia até agora
1955
Fazendeiro do ar: suivi de Poesia até agora
A cor de cada um
1952
A cor de cada um
Passeios na ilha: divagações sôbre a vida literária e outras matérias
1952
Passeios na ilha: divagações sôbre a vida literária e outras matérias
Contos de aprendiz
1951
Contos de aprendiz
As palavras que ningúem diz: crônica
1945
As palavras que ningúem diz: crônica
Prosa seleta
1945
Prosa seleta
O gerente
1945
O gerente
A rosa do povo
1945
A rosa do povo
Auto-retrato e outras crônicas
1943
Auto-retrato e outras crônicas
Crônicas
1940
Crônicas
Sentimento do mundo
1940
Sentimento do mundo