56 online
Clara
Escura
Português
Español
English

Darlan de Matos Cunha

Darlan de Matos Cunha
Ver Perfil - darlandematoscunha
Nasceu a 22 Novembro 1951
(Medina, MG)
Darlan M Cunha publicou os livros Umma (romance, Editora Virtual Books - Pará de Minas, MG), Esboços e Reveses: o silêncio (poesia, Editora CBJE - RJ), O ar em seu estado natural - Textos sobre letras do Clube da Esquina (Editora CBJE - RJ). Entende-se com um instrumento musical, tenta aprender entradas e bandeiras, preparando-se para encontros e despedidas, apreende algo mais da sociologia e da psicologia dos fatos cotidianos.
12991 visualizações
4 1 4
 

Os sete buracos do corpo




Atenta, pois, ao que se há de se mesclar com o fracasso
não com o acaso, que este é de cepa diferente, embora
possa ceder a um e outro espectro, a uma e outra
anamorose, è vero, a lei foi feita para o desacato

continuado, sendo a sina maior que move o humano
demasiado humano,* tornou-se genética, psicologismo
mas eis as mudas do vinhedo visto do terraço de onde alguém
se jogou, ramos de arte que alguém na sacada desenhou

filhos e filhas dispersando-se como dunas, valores na bolsa
concentrando-se, ah, como servem os nove buracos do corpo
solícitos diante e debaixo de tantos pesos de agravos
e latências dos ofídios em seu ofício. Atenta, pois, aos nós

das bravatas rumo ao rés do chão, já sem escolha
entre o sim e o não, nada existindo entre a nascente e a foz.
Gesta, gasta-se em ti a inenarrável alegria das somas
bem como um livre exercício de inquietação.*

***

*: Friedrich Wilhelm Nietzsche. Humano demasiado humano
*: Osias Ribeiro Neves. Livre Exercício de Inquietação