223 online
Clara
Escura
Português
Español
English

Sirlânio Jorge Dias Gomes (R)

Sirlânio Jorge Dias Gomes (R)
Ver Perfil - sirlanio2017
Nasceu a 14 Abril 1972
(Minas Gerais)
Abre a mente ao que eu te revelo e retém bem o que eu te digo, pois não é ciência ouvir sem reter o que se escuta.(Dante Alighieri) Um homem apaixonado por poesia. Tento traduzir os pensamentos na fidelidade que estes me concebem.Não tenho a pretensão de ser poeta,e se por acaso as palavras me metamorfosear em algo parecido,não me culpe;apenas me perdoe.(Sirlânio Jorge Dias Gomes)
85476 visualizações
17 2 2
 

Polimorfia


Gira o ponteiro do relógio em sua toca, 
Invisível e real celeiro de ferozes seres, 
Alados, decapitados, amordaçados, 
Ilustres moradores do tempo, 
Abraçados aos seus cadafalsos, 
Amontoado silêncio gélido, 
Ilustrando os pálidos tesouros, 
Abrigando criaturas infestas. 
Funesto caminho irrompe a alma, 
Assaz perdida no tempo, 
Redemoinhos de fantasmas, 
Atemorizando suas fiéis imagens, 
Com seus gritos enfadonhos, 
Gruir da infinda morte, 
Sob asas do pesadelo, 
Ambíguos infernos, 
Aos olhos de quem os criou. 
Ao longe a canção sidérica, 
Se faz ouvir no mutismo dos mundos, 
Vibrações de plasmas quiméricos, 
Recriando submundos indefinidamente, 
No imenso caos da casualidade, 
Onde os infernos se fundem, 
No desalinho de cada vontade, 
Consentido querer ao livre-arbítrio, 
Condenado desejo decaído, 
Sob o contínuo girar do ponteiro, 
Em suas portas exequíveis.