Thiago de Mello

Thiago de Mello
Amadeu Thiago de Mello foi um poeta e tradutor brasileiro natural do Estado do Amazonas, é dos poetas mais influentes e respeitados no país, reconhecido como um ícone da literatura regional. Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas.
Jabuti
Nasceu a 30 Março 1926 (Barreirinha)
Morreu em 14 Janeiro 2022 (Manaus)
Comentários
Thiago de Mello (Manaus AM, 1926) foi aluno interno do Colégio Batista, por volta de 1942, no Rio de Janeiro RJ; trabalhou como ajudante de cozinheiro em troca de estudos, moradia e comida. Entre 1946 e 1950, aproximadamente, estudou na Faculdade Nacional de Medicina, mas não chegou a concluir o curso.
Em 1950 ocorreu a publicação de seu poema Tenso por meus Olhos na primeira página do Suplemento Literário do jornal carioca Correio da Manhã.
No ano seguinte publicou Silêncio e Palavra, seu primeiro livro de poesia. Dirigiu o Departamento Cultural da Prefeitura do Rio de Janeiro em 1957.
Entre 1959 e 1960 foi adido cultural na Bolívia e no Peru. No período de 1961 a 1964 trabalhou como adido cultural em Santiago (Chile), mas foi afastado do cargo por acolher refugiados brasileiros em sua casa, contrariando a orientação dos militares.
Foi preso político, na época da ditadura militar e, entre 1965 e 1970, participou na Organização Revolucionária, no Chile.
Recebeu o Prêmio de Poesia, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte em 1975, pelo livro Poesia Comprometida com a Minha e a Tua Vida.
Em 1992 publicou o livro de entrevista e ensaio Borges na Luz de Borges e, em 1998, o livro infanto-juvenil Amazonas. Sua obra poética inclui Faz Escuro mas Eu Canto (1968), Os Estatutos do Homem (1973), Canto do Amor Armado (1975) e Campo de Milagres (1998), entre outros.
A poesia de Thiago de Mello vincula-se à terceira geração do Modernismo e é marcada pelo engajamento político e pela preocupação social, características também presentes em suas crônicas.