Aquarela

A casa onde mora aquela
Menina cor de açucena,
É uma casinha pequena,
Casa de porta e janela.

Tão pequenina e singela!
Ao vê-la, a idéia me acena
De quebrar o bico à pena
E fazer uma aquarela.

Pintar a casa, a colina
Mas sobretudo a menina,
O ar sossegado e feliz,

Dando relevo à pintura,
Numa ridente moldura
De cravos e bogaris.


In: GONÇALVES, Ricardo. Ipês: versos. Pref. Monteiro Lobato. São Paulo: Monteiro Lobato, 1922
1258
0


Quem Gosta

Quem Gosta

Seguidores