225 online
Clara
Escura
Português
Español
English

Sirlânio Jorge Dias Gomes (R)

Sirlânio Jorge Dias Gomes (R)
Ver Perfil - sirlanio2017
Nasceu a 14 Abril 1972
(Minas Gerais)
Abre a mente ao que eu te revelo e retém bem o que eu te digo, pois não é ciência ouvir sem reter o que se escuta.(Dante Alighieri) Um homem apaixonado por poesia. Tento traduzir os pensamentos na fidelidade que estes me concebem.Não tenho a pretensão de ser poeta,e se por acaso as palavras me metamorfosear em algo parecido,não me culpe;apenas me perdoe.(Sirlânio Jorge Dias Gomes)
85424 visualizações
17 2 2
 

caos


Onde está a loucura?
O amor que me beija me escarra,
Afinidades metamórficas da morte silenciosa,
Desejos escusos ociosos sob a fúria,
Tempestade de sentimentos bestiais,
Inflando o ego doentio.

Eu te amo muito!
Também te amo!
És a mulher da minha vida,
Você é o homem que sempre quis,
O tempo passa...
A flor da juventude e das emoções murcham.
Onde está a paixão?

Nunca ouvi falar,
Na verdade nunca te amei,
Era só interesse,
Você era linda e agora!?
Você mudou tanto!
Muitas mentiras maquiadas.

Diálogos homicidas,
Objetos masculinos e femininos,
Macho e fêmea ferindo-se na igualdade!?
Disparidade de uma política suja,
Inversão de valores contraditórios,
Guerra entre os sexos impostos.

Mercenário amor de faces assombrosas,
Infiéis palavras imposturadas,
Estupidez aos ouvidos carentes,
Vítimas condescendentes de si mesmas,
Armadilhas da vida aos sem vida,
Matando-se em migalhas venenosas.

Mulheres e homem assassinos,
Vomitando seus vazios em suas celas,
Procela de almas perdidas,
Viciadas em suas íntimas corrupções,
Escravizados em suas vaidades famintas,
Lamentando-se após o funeral.

Dou-te a flor da dor,
Linda promessa simulada,
O que não tenho é teu,
Até que a vida nos sangre,
Réus desta sentença,
Condeno-te ao caos alucinante.