Gilberto Mendonça Teles

Gilberto Mendonça Teles

Gilberto Mendonça Teles é um poeta e crítico literário brasileiro, conhecido, principalmente, pelos seu importantes estudos sobre o modernismo e a vanguarda na poesia, tendo produzido trabalhos ...

1931-01-01 Bela Vista de Goiás GO
25351
0
23

Era um moinho sem vento

Era um moinho sem vento,
uma palmeira sem chão,
estrela sem firmamento,
tristeza sem solidão.

(Queria agarrar o tempo,
vê-lo na palma da mão.
Ir ao contrário volvendo-o,
fechá-lo no seu galpão.
Depois soltá-lo em silêncio,
segui-lo na direção
que a vida com seus inventos
perdeu em libertação.)

Deu o vento no moinho,
teve a palmeira seu chão,
teve a estrela o seu caminho
e a tristeza, a solidão.

(Tentou gritar que era tarde,
que a vida perdia em vão.
Veio um anjo de alvaiade,
cantou-lhe alguma canção.
Depois olhou-o espantado,
jogou as asas no chão,
tirou a rosa dos lábios
e pôs-lhe o tempo na mão.)


Publicado no livro Sintaxe invisível (1967).

In: TELES, Gilberto Mendonça. Os melhores poemas. Seleção de Luiz Busatto. São Paulo: Global, 1993. p. 54. (Os Melhores poemas, 27
1186
0


Prémios e Movimentos

Jabuti 2011

Quem Gosta

Quem Gosta

Seguidores