Raimundo Correia

Raimundo Correia

Raymundo da Motta de Azevedo Corrêa foi um juiz e poeta brasileiro.

1859-05-13 Barra da Magunça, Maranhão, Brasil
1911-09-13 Paris, França
206418
3
97

Nua e Crua

Doire a Poesia a escura realidade
E a mim a encubra! Um visionário ardente
Quis vê-la nua um dia; e, ousadamente,
Do áureo manto despoja a divindade;

O estema da perpétua mocidade
Tira-lhe e as galas; e ei-la, de repente,
Inteiramente nua e inteiramente
Crua, como a Verdade! E era a Verdade!

Fita-a em seguida, e atônito recua...
— Ó Musa! exclama então, magoado e triste,
Traja de novo a louçainha tua!

Veste outra vez as roupas que despiste!
Que olhar se apraz em ver-te assim tão nua?...
À nudez da Verdade quem resiste?!


In: CORREIA, Raimundo. Poesias completas. Org. pref. e notas Múcio Leão. São Paulo: Ed. Nacional, 1948. v.1, p.22
2657
1


Prémios e Movimentos

Parnasianismo

Quem Gosta

Quem Gosta

Seguidores