António Feijó

António Feijó

António de Castro Feijó foi um poeta e diplomata português. Como poeta, António Feijó é habitualmente ligado ao Parnasianismo e o final da sua obra tende a um certo tom fúnebre.

1859-06-01 Ponte de Lima
1917-06-20 Estocolmo
14207
0
7


Prémios e Movimentos

Parnasianismo

Alguns Poemas

António Feijó (1859-1917) foi um poeta e diplomata português. António Joaquim de Castro Feijó nasceu em Ponte de Lima em 1859. Estudou Direito em Coimbra terminando o curso em 1883, ingressando na carreira diplomática. Exerceu cargos de início no Brasil (consulados de Pernambuco e Rio Grande do Sul) e, mais tarde, a partir de 1895, na Suécia, bem como na Noruega e Dinamarca. Na Escandinávia, ficará aliás colocado até morrer em Estocolmo no ano de 1917. Casou em 1900 com Mercedes Joana Leuwem. Como poeta, António Feijó é habitualmente ligado ao Parnasianismo. Principais obras: Transfigurações, 1862 Líricas e Bucólicas, 1884 Cancioneiro Chinês, 1890 Ilha dos Amores, 1897 Bailatas, 1907 Sol de Inverno, 1922 Novas Bailatas, 1926
Poeta e diplomata português. Formou-se em Direito em Coimbra, tendo exercido a advocacia por um breve período de tempo e seguido depois a carreira diplomática. Foi cônsul no Brasil (1886) e, até à data da sua morte, ministro de Portugal na Suécia, onde veio também a casar. Poeta ligado ao parnasianismo, é considerado o representante português, por excelência, deste movimento estético. Destacou-se pela sua destreza formal, recorrendo aos mais variados tipos de verso, e por um certo exotismo, patente, por exemplo, na adaptação de poemas chineses em Cancioneiro Chinês (1890). Os seus temas estão frequentemente ligados a um certo desencanto, a um sentimento de decadência e mágoa (também devido ao afastamento de Portugal), e ainda de pessimismo. Ao tema recorrente da morte associa um ideal de beleza fria e mórbida. O seu estilo contido e requintado, reflectindo, apesar da sua temática obsessiva, um distanciamente aristocrático, coloca-o num lugar singular da poesia do seu tempo. Estreou-se com Transfigurações (1882), publicando ainda Líricas e Opulentas (1884), À Janela do Ocidente (1885), Ilha dos Amores (1897) e Bailatas (1907). Postumamente, foram editados Sol de Inverno (1922), Novas Bailatas (1926), Sol de Inverno Seguido de Vinte Poesias Inéditas (1981). Saíram, em 1940, as Poesias Completas de António Feijó.
Diogo Antônio Feijó - Biografia
Encontro da Fundação 2014 "À procura da liberdade" - Liberdade e cultura
"O país que se segue" Ep. 15: António Feijó
Ulysses, de James Joyce,por António M. Feijó
Pessoa Ressoa - Ciclo de Conferências
António M. Feijó
Crianças recitam poesia para celebrar aniversário de António Feijó | Altominho TV
O Amor E O Tempo | Poema de António Feijó com narração de Mundo Dos Poemas
Marchas de S. João Ponte de Lima 2023 - Marcha Antonio Feijó
Corta Mato escolar AGVAF jan 2023
Entrevista com Dr. António Feijó_Parte I
A Cidade Do Sonho | Poema de António Feijó com narração de Mundo Dos Poemas
Reportagem da 'RTP 1' na Escola Básica 2/3 António Feijó
IE#2013 | António Feijó
Mesas da Páscoa no AGVAF
Lançamento - E Assim Sucessivamente | António M. Feijó
Bambolina! – Glossário Intempestivo de Teatro | Shakespeare
Clube de Ciência Viva da Escola António Feijó
Ideal - Antonio Feijó
Teixeira De Pascoaes - António Feijó
António Feijó – Fórum "Pela Língua Portuguesa, diga NÃO ao «Acordo Ortográfico» de 1990!"
Sessão de abertura: António Feijó
Semana da Leitura António Feijó
Eutopos: algumas vantagens das universidades | Miguel Tamen
Visita virtual ao Agrupamento de Escolas António Feijó
Congresso Internacional Fernando Pessoa 2021 | Confrontos
Arraial final do ano do Agrupamento de Escolas António Feijó
Inauguração das obras de remodelação na EB 2,3 António Feijó
V Jornadas António Feijó
A Cidade E O Sonho | Poema de António Feijó com narração de Mundo Dos Poemas
HINO À DOR | António Feijó (Dose Literária) # 222
Padre Diogo Feijó Museu Histórico Sorocanano
Regência de Feijó e suas consequências
Grande Prémio de Poesia António Feijó 2017
Entrega do Grande Prémio de Poesia António Feijó
ESCOLA DIGITAL - Boas práticas
António Feijó
Prémio de Poesia António Feijó 2017
eu que era mais dez anos na escola António Feijó
Serviço Educativo - Biblioteca Inclusiva - CAA do Agrupamento António Feijó
Colóquio 100 de Jorge Amado, António Feijó
Teatro CAP O Natal já não é o que era Ou é?!
T2 Amadora - Rua António Feijó
Telejornal da Horta
As Janeiras no AGVAF
Conheça a Casa do Regente Feijó, um dos maiores tesouros do bairro do Anália Franco
IV Jornadas António Feijó - Dia do Patrono 2022 - Aula aberta 2022
Apresentação do livro "Fotobiografia de António Feijó"
O amor e o tempo | António Feijó
Regência Una Diogo Feijó e Regência Una de Araújo Lima. Período Regencial.

Quem Gosta

Seguidores