D. Dinis

D. Dinis

D. Dinis de Portugal, O Lavrador, foi Rei de Portugal e do Algarve de 1279 até sua morte. Era o filho mais velho do rei Afonso III de Portugal e sua segunda esposa Beatriz de Castela.

1261-10-09 Lisboa
1325-01-07 Santarém
57125
1
187


Prémios e Movimentos

Trovadorismo

Alguns Poemas

Rei português. Nascido em Santarém, filho de D. Afonso III e de D. Beatriz de Castela, casou em 1282 com Isabel de Aragão, também conhecida como «Rainha Santa». D. Dinis subiu ao trono em 1279, quando da morte de seu pai. Tentando revitalizar a vida económica do reino, procurou reorganizar a administração interna, elaborando todo um conjunto de leis baseadas na realidade política, económica e social do país, combinadas sempre com uma forte actuação humana. Normalizou as relações com Castela, estabelecendo-se entre os dois monarcas (D. Dinis e D. Fernando IV de Castela) o Tratado de Alcanizes (1297), que procurava fixar a nossa fronteira de leste com a incorporação das praças alentejanas junto ao Guadiana. D. Dinis ficou conhecido como «O Lavrador», devido a uma série de medidas que tomou com vista à protecção da agricultura, da pesca e do comércio, orientadas para o desenvolvimento das várias regiões. Procurou ainda, através das inquirições, evitar as crescentes e abusivas usurpações sobre o património régio. A actividade piscatória e salineira registou igualmente um grande incremento durante o seu reinado, com a fundação de numerosas póvoas marítimas e a promoção da construção naval. O monarca português nacionalizou ainda as ordens militares, criando em 1315 a ordem de Cristo, destinada a manter a cruzada religiosa contra os infiéis, cuja fundação viria a ser confirmada pela bula papal de Março de 1319 Ad ea ex quibus. Esta nova ordem militar viria a ter uma enorme projecção no reino, sobretudo na expansão ultramarina dos séculos XV e XVI. O final do reinado de D. Dinis foi marcado por violentas guerras familiares, primeiro com o seu irmão (D. Afonso) e depois com o seu filho herdeiro (D. Afonso IV) e o seu filho bastardo (D. Afonso Sanches). Nestas guerras sobressaiu a figura da rainha D. Isabel, que contribuiu, decisivamente, como medianeira em várias diligências, para restabelecer a paz entre pai e filho. A D. Dinis se deve a fundação do Estudo Geral Português, em Lisboa (1290), onde se leccionavam artes, cânones, leis, medicina e teologia, e que constitui o primeiro núcleo de estudos universitários em Portugal. Durante o seu reinado, os documentos oficiais passaram a ser escritos no nosso idioma, e o monarca ordenou ainda a tradução para português de obras de renome como as Sete Partidas (conjunto de leis de Afonso, o Sábio) e a Crónica do Mouro Rásis. D. Dinis ficou conhecido como rei letrado devido às suas composições poéticas, com as quais contribuiu para a escola trovadoresca da lírica galego-portuguesa. A sua corte, tal como a do avô, Afonso X de Castela, foi um importante foco literário, acolhendo o rei vários trovadores da época. São da sua autoria 72 cantigas de amor, 51 de amigo, dez cantigas de escárnio e maldizer, três pastorelas e uma sátira literária. A sua poesia revela uma ligação directa aos modelos provençais, afirmada pelo próprio rei, que chegou mesmo a tecer comentários sobre as suas convenções poéticas. Também certos motivos são importados directamente da tradição e dos modelos occitânicos. A poesia de D. Dinis é notável pela sua delicadeza e subtileza, por um humor leve, com que aborda alguns motivos, e pelo refinamento estilístico. Entre os seus textos mais célebres, contam-se as Flores do verde pino e a sátira Proençais soen mui ben trovar
Dom Dinis I de Portugal nasceu a 9 de outubro 1261, provavelmente em Lisboa, e morreu em Santarém a 7 de janeiro de 1325. Foi o sexto rei de Portugal, e ficou conhecido como Rei Trovador, por suas várias cantigas de amor e de amigo, e ainda como Rei Lavrador. Filho de Dom Afonso III de Portugal e da infanta Beatriz de Castela, foi coroado em Lisboa em 1279, tornando-se rei aos 17 anos. Em 1282, casou-se com Isabel de Aragão, que ficaria conhecida como Rainha Santa. Um dos primeiros reis letrados de Portugal, seguiu os passos de seu avô, Afonso X de Leão e Castela, contribuindo grandemente para a cultura poética galego-portuguesa.
 
 
-
D. Dinis (O rei que fez tudo o que quis)
Linha da Frente: O Milagre do Rei D. Dinis | RTP
D.Dinis, o Rei Lavrador? - Mitos e Mentiras da História #09
D Dinis - História 1º ciclo - O Troll explica...
A Alma e a Gente - I #8 - O Grande Rei D.Dinis (Leiria Estremoz) - 12 Abr 2003
A ESPADA DO REI TEMPLÁRIO ESTÁ CONFIRMADA!!
Dom Dinis "O que vos nunca cuidei a dizer" (Cantiga de Amor)
Reis de Portugal, 06, Dom Dinis, "O Lavrador"
Chaves - uma cidade limite entre Portugal e Espanha!!!
E nasceu Portugal (Afonso, o Conquistador)
@acoreiratv, 20 Abril 2023. - Exumação de D. Dinis. - Programa da RTP - Linha da Frente .
Historia de Portugal - Volume II - De D.Dinis à Conquista de Ceuta - 1248-1415
A espada de D. Dinis
Sempre (D. Pedro e D. Inês)
Os descendentes de D. Dinis - História 1º ciclo - O Troll explica...
São rosas, Senhor (Rainha Santa Isabel)
História da vida do Rei D. Dinis
1º IMPACTO | GRUPO DE ESPECIALISTAS DESCOBRIU QUE AFINAL O REI D. DINIS NÃO FOI ATACADO POR UM URSO
DOM DINIS
Ai flores do verde pino - Dom Dinis - Cantiga de amigo - LEGENDADO PT/BR
Dom Dinis - Amigo, queredes vos ir?
Dom Dinis MaximaVaz 20161009 Historia
D. Dinis e D. Isabel - Opera ligeira de J. Carlos Godinho
Isto é D Dinis
Dom Dinis, o Lavrador - Sexto Rei de Portugal
Historia de Portugal, Volume II, De D Dinis à Conquista de Ceuta, 1248-1415
D. Dinis e D. Isabel - opera ligeira de José Carlos Godinho
Milagre das Rosas - Rainha Santa Isabel & D. Dinis
D. Dinis: o Rei poeta que colocou os portugueses a escrever e a falar português.
Rei de Portugal – D. Dinis - estuda na net
D. Dinis, 1976
Dom Dinis "Non chegou, madr', o meu amigo"
D. DINIS | Declamação da Mensagem de Pessoa em Português de Portugal
Túmulo de El Rei D Dinis
O Despacito do D. Dinis
Ponte El Rei D. Dinis- Leiria- Portugal 🇵🇹 Castelo 🇵🇹
(Opereta D Dinis e D Isabel) - A turma do 4º. ano é finalista do 1º. ciclo do Ensino Básico
Dom Dinis - Non sei como me salv' a mia senhor
"O Rei D.Dinis" em LGP - JI de Capuchos de Leiria- AE D.Dinis
Escola Secundária D. Dinis
Dialectos da Manjedoura - LGP - AE D.Dinis Leiria
Descoberta a Espada de D Dinis
D. Dinis I - Pois que vos Deus, amigo quer guisar - D. Dinis, arr. Nuno Feist
Feira das Profissões na Escola D.Dinis
Mãe Maria, em LGP - Rádio Comercial (AE D.Dinis)
TELESTUDO - HISTÓRIA DE PORTUGAL, DE DOM DINIS A DOM JOÃO I
Minuto Claque D.Dinis - Gala | Escolíadas 2022
𝓓𝖔𝓶 𝕯𝖎𝖓𝖎𝖘 ℐ, ℛ𝔢𝔶 𝔡𝔢 𝒫𝔬𝔯𝔱𝔲𝔤𝔞𝔩 - 𝕬 𝕿𝖆𝖑 𝕰𝓼𝖙𝖆𝖉𝖔 ℳ ’𝖆𝖉𝖚𝖘𝖘𝖊, 𝓢𝖊𝖓𝖍𝖔𝖗
Pirates of the Caribbean - D. Dinis em Festa 2015
Breve história de D. Dinis - Teatro em Caixa
Marichan0000
incrivel eu adorei
27/fevereiro/2021
lago 20096
mais do que otimo maravilhoso amei
26/fevereiro/2020
lago 20096
diz tudo o que eu queria
26/fevereiro/2020
-jbyulug
nao encontrei o que eu queria
14/janeiro/2020
A vida de D.Dinis
Ele era pobre no inicio da sua vida .E depois éque começou a ser rico porque foi rei.
18/fevereiro/2019
dias
nasceu em lisboa não em santarem
17/fevereiro/2019
SR.CALDAS
OTIMO
10/dezembro/2018
D.Dinis VIII
espetaculo
05/novembro/2018
Maluca
Homem de feio
17/maio/2018
faro
tambem nao precisa de ser giro para se ter turnado rei
19/fevereiro/2018
rui manoel
adorei ler
14/fevereiro/2018
braga
ele e feio
05/fevereiro/2018
rei
otimo
17/outubro/2017

Quem Gosta

Seguidores