Adolfo Casais Monteiro

Adolfo Casais Monteiro

Adolfo Vítor Casais Monteiro foi um poeta, crítico e novelista português.

1908-07-04 Porto, Portugal
1972-07-24 São Paulo
20906
0
2


Alguns Poemas

Eu Falo das Casas e dos Homens

Eu falo das casas e dos homens,
dos vivos e dos mortos:
do que passa e não volta nunca mais.. .
Não me venham dizer que estava materialmente
previsto,
ah, não me venham com teorias!
Eu vejo a desolação e a fome,
as angústias sem nome,
os pavores marcados para sempre nas faces trágicas
das vítimas.

E sei que vejo, sei que imagino apenas uma ínfima,
uma insignificante parcela da tragédia.
Eu, se visse, não acreditava.
Se visse, dava em louco ou em profeta,
dava em chefe de bandidos, em salteador de estrada,
- mas não acreditava!

Olho os homens, as casas e os bichos.
Olho num pasmo sem limites,
e fico sem palavras,
na dor de serem homens que fizeram tudo isto:
esta pasta ensanguentada a que reduziram a terra inteira,
esta lama de sangue e alma,
de coisa a ser,
e pergunto numa angústia se ainda haverá alguma esperança,
se o ódio sequer servirá para alguma coisa...

Deixai-me chorar - e chorai!
As lágrimas lavarão ao menos a vergonha de estarmos vivos,
de termos sancionado com o nosso silêncio o crime feito instituição,
e enquanto chorarmos talvez julguemos nosso o drama,
por momentos será nosso um pouco do sofrimento alheio,
por um segundo seremos os mortos e os torturados,
os aleijados para toda a vida, os loucos e os encarcerados,
seremos a terra podre de tanto cadáver,
seremos o sangue das árvores,
o ventre doloroso das casas saqueadas,
sim, por um momento seremos a dor de tudo isto. . .

Eu não sei porque me caem as lágrimas,
porque tremo e que arrepio corre dentro de mim,
eu que não tenho parentes nem amigos na guerra,
eu que sou estrangeiro diante de tudo isto,
eu que estou na minha casa sossegada,
eu que não tenho guerra à porta,
- eu porque tremo e soluço?
Quem chora em mim, dizei - quem chora em nós?

Tudo aqui vai como um rio farto de conhecer os seus meandros:
as ruas são ruas com gente e automóveis,
não há sereias a gritar pavores irreprimíveis,
e a miséria é a mesma miséria que já havia...
E se tudo é igual aos dias antigos,
apesar da Europa à nossa volta, exangüe e mártir,
eu pergunto se não estaremos a sonhar que somos gente,
sem irmãos nem consciência, aqui enterrados vivos,
sem nada senão lágrimas que vêm tarde, e uma noite à volta,
uma noite em que nunca chega o alvor da madrugada...

Escritor português, natural do Porto, mas naturalizado brasileiro, em 1954. Estudou Ciências Histórico-Filosóficas no Porto, formando-se em 1933. No ano seguinte, assumiu a direcção da revista Presença, após a demissão de Branquinho da Fonseca. Professor do ensino liceal, foi demitido por motivos políticos e, em 1954, fixou-se no Brasil. Foi professor universitário no Rio de Janeiro e em São Paulo, leccionando literatura. Como poeta, Adolfo Casais Monteiro deu mostras de uma inquietação e angústia extremamente pessoais (que se aproximam por vezes do desespero), em obras como Confusão (1929, a sua estreia) e Noite Aberta aos Quatro Ventos (1943). A sua obra poética deu alguma continuidade ao primeiro modernismo português, recusando os moldes da versificação tradicional. Muita da sua poesia reflecte preocupações específicas com o momento histórico, nomeadamente durante a II Guerra Mundial, e com as contradições e tensões da vida humana no mundo. Destacou-se, sobretudo como ensaísta, de forma mais intensa após a sua ida para o Brasil, deixando contributos importantes para o estudo de Fernando Pessoa e do grupo da Presença. Publicou, em poesia, Canto da Nossa Agonia (1942), Versos (1944), Europa (1946), Voo Sem Pássaro Dentro (1954) e Poesias Completas (1969). No campo do ensaio, escreveu De Pés Fincados na Terra (1940), Estudos Sobre a Poesia de Fernando Pessoa (1958), A Poesia da «Presença» (1959), O Romance (1964), A Palavra Essencial (1965), A Poesia Portuguesa Contemporânea (1977), Estrutura e Autenticidade na Teoria e na Crítica Literárias (1984) e O Que Foi e O Que Não Foi o Movimento da «Presença» (1995), entre outras obras.
-
#174 - Fernando Pessoa - Carta a Adolfo Casais Monteiro - Conto um Conto
O Essencial Sobre Adolfo Casais Monteiro
Ler Mais Ler Melhor Vida e Obra de Adolfo Casais Monteiro
Permanência | Poema de Adolfo Casais Monteiro com narração de Mundo Dos Poemas
EUROPA (Poema de Adolfo Casais Monteiro)
Europa - Parte I
Adolfo Casais Monteiro - Verbetes A Europa Face à Europa
3 Poemas de Adolfo Casais Monteiro, Op. 12: No. 1, Música
Carta A Adolfo Casais Monteiro
Fernando Pessoa: Carta a Adolfo Casais Monteiro - 13 Jan. 1935 Ǻ
ADOLFO CASAIS MONTEIRO, POEMA EUROPA
Adolfo Casais Monteiro: leitura mítica da incerteza - Comunicação SENALIC/UFS 2022
A Tua Morte em Mim - Adolfo Casais Monteiro
✅ Adolfo Casais Monteiro Video 2
A Tua Morte Em Mim | Poema de Adolfo Casais Monteiro com narração de Mundo Dos Poemas
✅ Adolfo Casais Monteiro Europa Fragmentos
Paz Aos Mortos | Poema de Adolfo Casais Monteiro com narração de Mundo Dos Poemas
✅ Adolfo Casais Monteiro Video 1
Adolfo Casais Monteiro - Só a poesia nos Salvará
3 Poemas de Adolfo Casais Monteiro, Op. 12: No. 3, Marcha Triunfal
Inflama - Europa (Adolfo Casais Monteiro) ao vivo 3º Festival Rock N`Aldeia
Show de Talentos 2013 (Adolfo Casais Monteiro)
380 - A palavra impossível - Adolfo Casais Monteiro
Agita Galera 8º e 9º ano (Adolfo Casais Monteiro)
Adolfo Casais Monteiro | Mário Viegas | ode ao tejo e à memória de álvaro de campos
Agita Galera - Matutino (Adolfo Casais Monteiro)
Projeto Mediação e Linguagem EE Adolfo Casais Monteiro "Um estudo em vermelho"
Agita Galera 6º e 7º (Adolfo Casais Monteiro)
Adolfo Casais Monteiro " La parola impossibile " Interprete: Sergio Carlacchiani
Formatura Adolfo Casais Monteiro ( turma 1995 )
Projeto Mediação e Linguagem EE Adolfo Casais Monteiro - "A culpa é das estrelas" de John Green
Adolfo Casais Monteiro " La parola impossibile " Interprete: Sergio Carlacchiani
Cód. CA0189 - Casa à venda na Rua Adolfo Casais Monteiro, terreno 295m² e área construída de 257m².
Projeto Mediação e Linguagem EE Adolfo Casais Monteiro "Um estudo em vermelho"
3 Poemas de Adolfo Casais Monteiro, Op. 12: No. 2, Poemas das Mãos Tombadas
Projeto Mediação e Linguagem. EE Adolfo Casais Monteiro. "It a coisa"
Isabel Hagos Diz Adolfo Casais Monteiro, Deram-me o silêncio
Show MIDNIGHT - Come as you are ( cover) E.E. professor Adolfo Casais Monteiro
K.A.Y. Ft. Ruudboy - Rua de Adolfo Casais Monteiro (INVENDY PRODUCTIONS)
Uma suave rudeza cruza o Atlântico: Diálogo entre Mário de Andrade & Adolfo Casais Monteiro - Aula 4
Vinil de poesia Adolfo Casais Monteiro
Show MIDNIGHT - Tempo perdido ( cover) E.E. professor Adolfo Casais Monteiro
[Eletropaulo Nas Escolas] Adolfo Casais Monteiro
Projeto Mediação e Linguagem EE Adolfo Casais Monteiro "O Menino do Pijama Listrado"
Cód. CA0183 - Casa com 4 dormitórios à venda - Rua Adolfo Casais Monteiro 498 - Jardim Prudência
"EUROPA", Adolfo Casais Monteiro - Soares Teixeira
Não seja como a Maria
Projeto Mediação e Linguagem EE Adolfo Casais Monteiro - "Harry Potter"
Uma suave rudeza cruza o Atlântico: Diálogo entre Mário de Andrade & Adolfo Casais Monteiro - Aula 3
Eletricidade e Segurança fora de casa: " Não soltar pipas perto de construções"

Quem Gosta

Seguidores